fbpx
 

A inteligência artificial e os hábitos de consumo

A inteligência artificial e os hábitos de consumo

Antes de mais nada, pedimos paciência. É nosso primeiro artigo no blog, e se você começar a nos acompanhar com frequência, verá que com o tempo a qualidade dos textos irá melhorar. Esse é um compromisso nosso. Segundo, nosso intuito é escrever para quem não convive de maneira imersa em tecnologia e marketing digital. Se você é um profissional do mercado, provavelmente nossos artigos podem parecer simplórios demais.

A inteligência artificial já faz parte de nossas vidas. Seja em aplicativos como Siri ou Google Assistant, seja nos assistentes pessoais (como Google Home, HomePod, Alexa e afins) e até mesmo em sites de e-commerce.

Sim. Sites de e-commerce começam a usar a inteligência artificial para captar dados sobre tendências e hábitos de consumo. O objetivo é tornar as recomendações de produtos a cada cliente ainda mais personalizadas. Além disso, eles tentam determinar os fatores principais que fazem com que o consumidor tome a decisão de comprar um produto.

Um bom exemplo de uso da inteligência artificial é o Watson da IBM. Ele é usado desde Hospitais até sites de e-commerce. No Instagram da empresa, é possível ver que a empresa começou a ensinar o Watson a interpretar os movimentos de uma tenista e transformá-los em dados. 

A inteligência artificial vai aprendendo a transformar movimentos em dados. Seja os movimentos de uma tenista em um jogo de tênis, seja os movimentos do cursor de um usuário em uma página de produtos. A I.A. vai aprendendo, através da inserção de dados, a interpretar os movimentos em dados estatísticos. Uma revolução que fará que, em pouco tempo, com que tenhamos uma experiência de compra virtual 100% personalizada.

Eu sempre costumo dizer que o Banco mais rico do mundo é o banco de dados. Imagina a diferença que faria a um empresário que possui uma loja de roupas, saber quantas pessoas gostam de camisas azuis e quantas pessoas gostam de camisas brancas. Ou o horário preferido de compras de seus clientes. Imagine ter todos esses dados gerais distribuídos por cliente. Imagine um sistema que envie, por e-mail, sugestões de compras de acordo com as preferências do cliente (cor, tamanho, modelo, etc.). O dono da loja poderia montar seu estoque de maneira a minimizar perdas e maximizar seus lucros, comprando as peças que mais saem ou que são mais procuradas. 

A inteligência artificial é muito mais complexa do que está descrito aqui, claro. Estou escrevendo em linhas gerais e de uma maneira que facilite a compreensão geral. O importante é que já estamos vivendo essa revolução. Dados de mercado dão conta que as vendas no final de ano devem crescer 13% em comparação com 2017, sendo que 35% desse faturamento deve ser gerado por recomendações via inteligência artificial. 

Esse é um tema importante a ser estudado. Principalmente porque os primeiros a compreenderem a importância da I.A. no comércio serão os que mais tirarão proveito dela. Em breve publicaremos algumas fontes interessantes de estudo sobre internet e Inteligência Artificial. 

1 Comment
  • Vanessa Oliveira
    Posted at 17:32h, 21 setembro Responder

    Ótimos insights que coloca o assunto inteligência artificial de maneira simples e demonstra como o uso melhora os resultados. Parabéns!

Post A Comment